Altar Ego

quarta-feira, janeiro 04, 2006

Quando te vejo de novo?
























Toca o telefone tarde...muito tarde como sempre.

- Boa noite coisa boa, vamos sair?
- Claro que sim.

Vestiu-se com especial cuidado, de preto que lhe fica bem, bem maquillada e penteada, cabelo loiro, liso e longo caindo pelas costas. Para impressionar, para provocar, para despertar o desejo. Intencional,decidida!

Sai e o carro já espera por ela lá embaixo, com ele lá dentro. Entre e sente um arrepio de desejo ...ele é tão bonito, pensa ela, tão sensual, tão charmoso, pena que...

Conduz em silêncio, mas um silêncio cúmplice, ela ao lado, mãos entrelaçadas, dedos que se tocam, um beijo na palma da mão, leve, sensual. O desejo desperta.

- Onde vamos?

- Onde tu me levares

Olha para ele de lado, um sorriso malicioso ao canto da boca, um piscar de olho provocante....ele abana a cabeça e ri-se.

Param junto à praia e saem do carro. Ela encosta-se ao muro, olhando o mar em silêncio, sentindo o respirar dele na sua nuca, o seu corpo quente encostado ao dela. Lentamente ele vira-a de frente para si. Encosta-se a ela, e muito ao de leve, corre os lábios pelo rosto dela, afaga-o com as pontas dos dedos, deixando um trilho de desejo - forte, poderoso, avassalador. De leve, quase sem tocar, passa os lábios pelos dela, e murmura:

- Anda comigo...vamos ficar mais juntos?

Olha-o nos olhos e sem responder encosta-se a ele, e deixa-se ir.

Chegados ao quarto de hotel a sensualidade toma conta deles, e ela passa-lhe a mão pelas costas...arranhando levemente. O desejo invade-os e faz amor com ele de uma forma intensa, sôfrega, totalmente entregue, sem limites, sem pudores. Ele? O mesmo. Parece que se conhecem desde sempre, os corpos em sintonia perfeita, a sensualidade inexplicável de tão forte, o desejo parecendo não acabar nunca.

Deitados lado a lado, ela levanta-se apoiando-se no cotovelo:

- Lindo, vou andando

- O quê? Já? Porquê? Não gostáste? Não entendo, que foi que fiz?

- Nada, simplesmente sabes que comigo é assim - puro desejo sem amarras e sem lamechas. Se quisermos estar juntos outra vez...é só assim

Veste-se, lentamente, sensualmente, sabendo que ele a olha, confuso, pouco habituado a que uma mulher o descarte dessa forma, completamente apanhado de surpresa, inseguro e ao mesmo tempo desperto e atiçado para o confronto, a luta, a guerra da conquista.

Veste-se também, sempre olhando para ela, o rosto belo e triste, o corpo bem feito e saturado de uma noite de amor, ela...que lhe desperta um desejo imenso só de olhar...ela...que não sabe o que fazer, como se comportar.

Pega nas chaves do carro, ela segue-o. Conduz em silêncio, deixa-a á porta de casa. Ele despede-se com um boa noite, ele também.

- Quando te vejo outra vez linda?

- Quando me apetecer coisa boa...

Dá-lhe um beijo no nariz, ri-se, vira costas....e ele...sabe que sim que vai querer outra vez, e outra e outra...quem sabe um dia ela fica com ele...e esquece a sede de vingança que a faz assim desprendida, fria...

Posted by simplesmente...mais eu :: 7:24 da tarde :: 7 Comments:

Post a Comment

---------------oOo---------------